Segurança cria gabinete emergencial em Campinas

O primeiro Gabinete de Gestão Emergencial de São Paulo foi criado hoje em Campinas, por meio de resolução da Secretaria Estadual de Segurança Pública, para viabilizar a integração das polícias estaduais, federal, da Justiça e de representantes da sociedade civil. O Gabinete é dividido em dois núcleos, o de Segurança Pública, que incluirá uma Central de Inteligência, e o de Ação Social. Segundo o secretário Saulo Castro de Abreu Filho, será investido R$ 1 milhão para equipar a Central de Inteligência, que servirá às polícias Militar, Civil e Federal. Abreu Filho explicou que alguns policiais da região de Campinas estão recebendo treinamento em São Paulo para compor a Central, que trabalhará basicamente com informações. Mas ele não especificou o tamanho do efetivo. Uma das missões do grupo especializado será elaborar o mapeamento da criminalidade na região, cruzar estatísticas e dados. A partir desse mapeamento, as polícias poderão elaborar ações planejadas, apressar procedimentos e promover convênios de cooperação técnica com instituições da região. "Pode-se chamar de integração ou unificação. Na prática, vamos pegar o que a polícia tem de melhor e trabalhar em um objetivo único", disse o secretário.Segundo Abreu Filho, a Central de Inteligência irá permitir que a polícia se antecipe ao crime. Mas ele enfatizou que o Gabinete não se resume às ações policiais. Inclui também a mobilização da sociedade. Ele exemplificou que, na reunião de hoje em Campinas, ficou acertado que 20 escolas da cidade permanecerão abertas nos finais de semana, para a promoção de atividades de lazer, no projeto Parceiros do Futuro. "Esse tipo de ação tem um reflexo imediato na redução de homicídios e dos crimes", afirmou o secretário. Ele apontou que Campinas "está por merecer" mais uma unidade da Febem, e que as atividades sociais contribuem para afastar o menor da criminalidade. O Gabinete da região de Campinas é formado por sete membros das polícias locais e seis da sociedade civil. Os integrantes irão se reunir semanalmente para discutir ações elaborar um plano estratégico. A composição poderá ser revista a cada 90 dias. O grupo será coordenado pelo secretário adjunto da Secretaria Estadual de Segurança Pública, Marcelo Martins de Oliveira. A próxima reunião está marcada para terça-feira da semana que vem. "É preciso parar de choramingar e agir", disse Abreu Filho. O secretário lembrou que nas próximas semanas serão instituídos outros dois Gabinetes, no Vale do Paraíba e na Baixada Santista. "Gostaria de levar o projeto para São Paulo, mas é mais difícil, pela extensão".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.