Seguranças do Vasco vão depor sobre bala perdida

Os seguranças do Vasco da Gama serão intimados a depor no inquérito que apura como o atleta Luciano de Souza da Silva, de 14 anos, foi baleado dentro do alojamento do clube, na segunda-feira. A polícia deu um prazo de dez dias para o Vasco detalhar por escrito o esquema de segurança no local. Uma das suspeitas é de que o tiro que atingiu o peito do menino tenha sido disparado a partir do clube. O delegado Fabio da Costa Ferreira, da delegacia de São Cristóvão, começa na quinta-feira a ouvir os setenta atletas que dividem o alojamento com Luciano. O jovem foi baleado na sala de recreação, ao se aproximar da janela, que tem vista para a favela Barreira do Vasco e a via expressa Linha Vermelha.Nesta quarta-feira, ele esteve no Hospital de Clínicas Doutor Aloan, onde Luciano se recupera, e disse que o menino não sabe de onde partiu a bala, e nem ouviu tiroteio. Os médicos informaram que o quadro do atleta é estável e ele deve ter alta sábado de manhã. Passado o susto, Luciano quer agora voltar aos campos.Estácio de Sá, 100 diasCompletados cem dias do caso Estácio de Sá, o inquérito que apura a autoria do disparo que feriu gravemente a estudante Luciana Gonçalves de Novaes ainda não foi concluído. O Ministério Público espera receber o resultado das investigações até o dia 26. O laudo que vai apontar de onde partiu o tiro ainda não foi entregue, mas todos os indícios mostram que o atirador estava dentro do câmpus da faculdade. Principal suspeito, o traficante Elton dos Santos, o Batata, foi indiciado porque o exame de balística constatou que o tiro partiu de sua pistola ponto 40.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.