Seguro indenizará vítimas de queda de marquise no Rio

O advogado dos proprietários do Hotel Canadá, Ely Machado, informou que as vítimas do desabamento da marquise, na manhã desta segunda-feira, 26, serão indenizadas pelo seguro feito pelo estabelecimento. Segundo Machado, o hotel passou recentemente por reformas na fachada, encerrada no sábado, 24. "Vamos investigar se, na obra, foi feito algo que sobrecarregou a marquise. Se isso ocorreu, vamos chamar os engenheiros à responsabilidade", afirmou Machado. No acidente, ocorrido às 11 horas, duas pessoas morreram e seis foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros. De acordo com Machado, a tragédia poderia ter sido maior: minutos antes de a marquise de duas toneladas desabar, um ônibus com cinqüenta hóspedes estava estacionado em frente ao hotel. Os bombeiros liberaram a única entrada do prédio. Os primeiros hóspedes começaram a sair por volta das 14 horas. O comerciante paulista Aírton Van Nentgen, de 33 anos, contou que estava tomando café da manhã quando ouviu o estrondo. "De dentro, víamos pessoas feridas, sendo resgatadas pelos bombeiros. Vimos inclusive as duas senhoras mortas", contou ele, que deveria ficar na cidade até sábado, mas decidiu ir embora ainda nesta segunda-feira.

Agencia Estado,

26 Fevereiro 2007 | 14h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.