Brigada Militar/ Divulgação
Brigada Militar/ Divulgação

Seis bandidos e um refém morrem em assalto a bancos e lotérica

Ação aconteceu em Ibiraiaras, no norte do RS, cidade com pouco mais de 7 mil habitantes

Luciano Nagel, Especial para O Estado

04 de dezembro de 2018 | 13h36

PORTO ALEGRE - Seis homens suspeitos de assaltarem duas agencias bancarias e uma lotérica na cidade de Ibiraiaras, na região norte do Rio Grande do Sul, foram mortos em tiroteio com policiais militares. Na ação, um criminoso foi preso e um refém morreu. Os assaltos aconteceram na tarde dessa segunda-feira, 3, de forma simultânea, no município que tem pouco mais de 7 mil habitantes. 

De acordo com a Brigada Militar, os assaltantes obrigaram os reféns a fazer um cordão humano no meio da rua onde ficam os três estabelecimentos que foram assaltados. Após roubar os malotes de dinheiro, o restante do bando fugiu, levando um refém.

O gerente adjunto do Banco do Brasil da cidade, identificado como Rodrigo Mocelin da Silva, de 37 anos, que estava sob o poder dos criminosos, morreu durante o confronto entre assaltantes e polícia. Silva era casado e deixa a esposa e dois filhos. Natural de Passo Fundo, o gerente trabalhava havia cerca de um mês em Ibiraiaras. 

Em nota, o Banco do Brasil lamentou profundamente a morte do funcionário e informou que presta assessoria e amparo à família do gerente e aos demais funcionários da agência. A unidade do BB em Ibiraiaras permanecerá fechada pelos próximos dias.

Horas depois do assalto, a Brigada Militar apreendeu mais de R$ 100 mil em espécie e armas de grosso calibre com um dos integrantes da quadrilha. Entre as pistolas e revolveres apreendidos estavam dois fuzis, uma submetralhadora, munições e coletes à prova de balas. Durante as diligências, três veículos também foram recuperados. 

As buscas a outros dois bandidos que teriam participado dos assaltos permanecem nesta terça-feira, 04, na comunidade de Pio X, em Ibiraiaras. As informações são do Comando Regional da Brigada Militar. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.