Seis corpos resgatados pela Marinha francesa chegam a Noronha

Há quatro dias nenhuma vítima é avistada; operação já resgatou 49 corpos, dos quais 43 estão em Pernambuco

16 de junho de 2009 | 10h23

O Comando da Aeronáutica informou nesta terça-feira, 16, que seis corpos de vítimas do voo 447 resgatados no Oceano Atlântico pela Marinha francesa chegaram a Fernando de Noronha e já foram entregues para a perícia inicial. Não há previsão da chegada desses corpos a Recife.

 

Veja também:

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

videoSubmarino francês no resgate à caixa-preta

video Vídeo: Operação de resgate

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

blog Blog: histórias de quem quase embarcou

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

 

Há quatro dias nenhum novo corpo é avistado, segundo a Aeronáutica. No total, 49 corpos foram retirados do mar, dos quais 43 estão em Recife. Esses últimos seis resgatados pelos franceses foram localizados na sexta-feira, 12, e transferidos para uma embarcação da Marinha brasileira no domingo, 14.

 

Até o momento nenhuma vítima foi identificada, segundo a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco. A Air France desativou no domingo o centro de informações aos familiares no Hotel Windsor Guanabara, no centro do Rio, e os parentes serão informados por telefone.

 

O comando militar disse que a operação já soma 1.000 horas de voo e continuará por tempo indeterminado, numa força-tarefa que envolve mil homens, sendo 671 da Marinha e 250 da Aeronáutica, além de 13 aviões, dos quais dois são franceses.

 

O tenente coronel Henry Munhoz, assessor de comunicação da Aeronáutica, disse, para efeito de comparação, que a missão no Estado de Santa Catarina após as enchentes no ano passado consumiu cerca de 460 horas de voo. A área varrida por radares na área da queda do Airbus da Air France, segundo o militar, corresponde a cinco vezes ao Estado de São Paulo e a dez vezes o de Pernambuco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.