Seis desaparecem em naufrágio no Amazonas

Seguem hoje as buscas pelos seis desaparecidos no naufrágio da embarcação Dona Zilda, que ocorreu às 3 horas de ontem, em Itacoatiara (AM). Dos 47 passageiros a bordo, 41 foram resgatados. Além do excesso de passageiros - a embarcação tinha capacidade para 35 pessoas e três tripulantes -, os sobreviventes afirmaram que havia também excesso de carga. "Havia madeira, caixas de isopor e muita gente", disse o agricultor Jair Nunes. A embarcação navegava no Rio Amazonas quando bateu num barranco e afundou. "O barco bateu e dobrou. Peguei uma tampa de isopor e dei para o meu filho se agarrar. Começamos a juntar coisas que podiam flutuar para conseguir nadar até a margem", disse Nunes, que viajava com a mulher e o filho. O agricultor tirou sete pessoas da água. "Só lamento não ter conseguido ajudar essas outras seis pessoas." Três dos desaparecidos são parentes de Maria Ivaneide Nunes, de 47 anos, que perdeu a esperança de encontrá-los com vida. "Se não acharam até agora, devem ter morrido." Segundo o Comando do 9º Distrito Naval, as causas do acidente serão investigadas e o resultado deve sair em 90 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.