Seis estão desaparecidos após chuvas no Paraná

Segundo a Defesa Civil do Estado, quatro são da região de Guarapuava, outra é de Altamira do Paraná e a sexta, de Rebouças. Nove pessoas já morreram no Estado

Julio Cesar Lima, Tomas Petersen, Especiais para o Estado

09 de junho de 2014 | 20h17

CURITIBA - Seis pessoas estão desaparecidas por causa das chuvas no Paraná. Segundo a Defesa Civil do Estado, quatro são da região de Guarapuava, no sul do Estado, uma das cidades mais atingidas; outra é de Altamira do Paraná, no oeste, e a sexta, de Rebouças, no sudeste. Nove pessoas já morreram no Estado. A última vítima foi um aposentado morador de Curitiba que teve sua casa invadida pela enchente. Santa Catarina também se recupera de temporais que afetaram 27 municípios.

A Defesa Civil paranaense informou que 79 municípios decretaram estado de emergência, até as 18h desta segunda-feira, 9. Ao todo, 124 cidades foram prejudicadas pela chuva, que afetou 106.389 moradores.

A vazão das Cataratas do Iguaçu é a maior em três décadas. Segundo dados divulgados pela Companhia Paranaense de Energia (Copel), durante a manhã desta segunda foi registrado um volume de 46,3 milhões litros por segundo, 30 vezes maior que o normal. O recorde anterior, de 1983, era de 35 milhões de litros por segundo. Por questões de segurança, a administração do Parque Nacional do Iguaçu suspendeu os passeios de barco e fechou as passarelas. O restaurante do local também não abriu.

Até o início da tarde desta segunda havia 51 pontos de interdição nas estradas que cortam o Paraná, segundo a Polícia Rodoviária Federal. A mais atingida, com dez pontos de bloqueio, é a BR-277, que liga o Porto de Paranaguá a Foz do Iguaçu.

Santa Catarina. O tempo estabilizou e o volume dos rios começou a baixar nesta segunda, no norte de Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil, 27 municípios foram prejudicados pelas enxurradas. Destes, seis decretaram situação de emergência, quatro comunicaram situação de emergência e dois decretaram estado de calamidade pública (Rio Negrinho e Guaramirim). Só em Guaramirim, 15 mil pessoas tiveram de sair de suas casas por causa dos alagamentos. 

As aulas da rede estadual foram canceladas em 17 cidades. As escolas que não foram afetadas receberam desabrigados. A chuva também provocou queda de energia em cidades do Planalto Norte, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis. Só na região da capital, 30 mil unidades atendidas pela Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) ficaram sem luz no fim de semana. Até ontem, 5,6 mil estavam sem energia no Estado.

Em todo o Sul, as chuvas devem diminuir com a chegada de ar polar, segundo a Climatempo.

Mais conteúdo sobre:
Paranáchuvas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.