Seis famílias resgataram R$ 48 mil da indenização

Adiantamento está disponível para representantes de todas as vítimas

Lúcia Jardim, PARIS, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2009 | 00h00

A Axa Corporate Services, seguradora responsável pelo pagamento das indenizações às famílias das vítimas do voo 447 da Air France, disse ontem que, das seis famílias que já resgataram um primeiro adiantamento da indenização, cinco são brasileiras. A sexta é francesa.     Veja também: 'Não estamos indiferentes', diz senador francês Acidente da Gol é o que tem mais parentes sem acordo Militares recolhem mais destroços do Airbus A330  Todas as notícias sobre o Voo 447 Submarino francês no resgate à caixa-preta  Vídeo: Operação de resgate Especial: Os desaparecidos do voo 447  Especial: Passo a passo do voo 447  Galeria de fotos: buscas do Voo 447  Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447  Galeria de fotos: homenagem às vítimas  Blog: histórias de quem quase embarcou Cronologia das tragédias da aviação brasileira Cronologia dos piores acidentes aéreos do mundo   As famílias ou pessoas próximas dos 216 passageiros devem receber até o final de semana uma carta da empresa com explicações sobre os procedimentos a ser realizados, tanto por parte da empresa como dos indenizados. A sistemática é diferente para parentes dos 12 membros da tripulação. Até agora, 266 cartas foram mandadas entre segunda-feira e ontem - algumas famílias podem receber mais de uma carta, no caso de vítimas cujos pais são separados, por exemplo -, mas restam 30 representantes de vítimas do acidente que ainda não puderam ser contatados em decorrência de endereços desencontrados.O valor inicial disponibilizado é de R$ 48.430,00 por passageiro e é destinado a auxiliar as famílias com os custos ligados à morte, como documentação, taxas e deslocamentos. "O valor final mínimo estabelecido pelo Acordo de Montreal, do qual Brasil e França são signatários, é de 109 mil (cerca de R$ 298,8 mil) e não existe máximo. Cada caso será analisado e vamos chegar a um acordo com as famílias", disse ao Estado Patrick de la Morinerie, diretor adjunto da companhia.Algumas famílias francesas, no entanto, já estariam insatisfeitas com o valor mínimo e teriam entrado na Justiça. Em entrevista à Radio France Internationale (RFI), o advogado da Associação pela Verdade e Defesa dos Direitos das Vítimas do Voo AF 447, Sylvain Maier, afirmou que vai pedir à Justiça valor pelo menos dez vezes maior.Nesta etapa inicial, a Axa disponibilizou o adiantamento para todos os interessados. Em relação ao restante da indenização, Morinerie explicou que os valores serão negociados de acordo com as leis do país que o familiar preferir - a francesa ou a da nacionalidade de origem. As causas da tragédia, quando descobertas, não influenciam nos valores, garante o diretor. Ele espera que todo o pagamento seja concluído em um ano. PROCESSODois dias após decisão da 28ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, que concedeu parcialmente a tutela antecipada requerida por parentes do passageiro Walter Nascimento Carrilho Junior, o advogado da família, João Tancredo, pretende apresentar hoje à Justiça pedidos semelhantes contra a Air France para representantes de outros seis passageiros. Ontem ele deixou de representar a família do maestro Silvio Barbato.A Air France informou ontem que ainda não havia sido notificada oficialmente sobre a decisão da Justiça do Rio. COLABOROU FELIPE WERNECK

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.