Seis hospitais interditados em MG

Seis hospitais da região de Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, sofreram interdições esta semana da Diretoria Regional de Saúde (DRS), por falta de adequação às normas de funcionamento.Segundo o diretor da DRS, Lauro dos Santos, os hospitais apresentavam deficiência na estrutura física, falta de medicamentos e ausência de recursos humanos.Foram interditados estabelecimentos localizados em Monte Sião, Heliodora, Careaçu, Ipuiúna, Santa Rita de Caldas e Maria da Fé. ?São hospitais de cidades pequenas, que viviam da filantropia e que já estavam inviabilizados financeiramente e sem corpo clínico?, explicou o diretor.Segundo ele, os hospitais eram alvos, há algum tempo, de fiscalização da Vigilância Sanitária. Ao todo, informa, 30 estabelecimentos estão em processo de avaliação pelo DRS na regional de Pouso Alegre. ?Esses seis que foram fechados eram os que apresentavam situações mais graves.?Os médicos do hospital de Monte Sião, por exemplo, pediram demissão coletiva, e o hospital não tinha um projeto de funcionamento, conforme norma do Ministério da Saúde. Na instituição de Heliodora, apenas um profissional era responsável pelo atendimento.A precariedade na estrutura física dos prédios levou à interdição parcial dos hospitais de Careaçu, Ipuiúna, Santa Rita de Caldas e Maria da Fé. Nesses locais, as cirurgias foram suspensas, mas os pronto-atendimentos, continuam sendo realizados.Lauro dos Santos garantiu que a população dessas cidades não ficou sem assistência. ?As referências de internações desses moradores foram transferidas para hospitais de outros municípios?. Nesta quarta-feira, o secretário estadual de Saúde, Carlos Patrício Freitas, estará na região e visitará Pouso Alegre, onde inaugura a nova sede do DRS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.