Seis mortes em colisões nas estradas

O fim de semana foi violento nas estradas. Morreram seis pessoas em três acidentes. Dois choques envolvendo caminhões deixaram três mortos na Rodovia Régis Bittencourt. Na Mogi-Bertioga, um ônibus de turismo tombou, resultando em três mortes.Os acidentes nas estradas brasileiras estão cada vez mais violentos. A constatação é da Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), que realizou uma pesquisa comparativa da situação das rodovias em 2004 e 2005. Nesses dois anos, o número de acidentes caiu de 112,4 mil para 109,8 mil, o que significa uma redução de 2,4%. Mas na mesma proporção aumentaram os óbitos. Em 2005, morreram 233 pessoas a mais que em 2004, totalizando 6,3 mil mortes. ?Segurança no trânsito é um problema de saúde pública?, diz Marco Bicalho, coordenador do estudo e superintendente da ANTP. Régis, a mais perigosaEntre as rodovias mais perigosas, de acordo com a ANTP, está a Régis. Ontem ela foi interditada duas vezes. O motivo: dois acidentes envolvendo caminhões. No Município de Miracatu, km 362 - num trecho de serra e pista simples -, um caminhão carregado de aerossol tombou em cima de outro que vinha na mão contrária. Houve incêndio e duas pessoas ficaram carbonizadas. A estrada ficou interrompida, das 10h30 às 15h45. Uma hora depois, voltou a ser fechada. Poucos quilômetros adiante, um carro bateu atrás de um caminhão. O motorista morreu na hora. O acidente causou 10 quilômetros de lentidão na pista que leva a Curitiba e de 20 no sentido contrário. A Mogi-Bertioga foi palco de outra tragédia. O tombamento de um ônibus de turismo matou três pessoas e deixou 51 feridos. Entre os mortos, estava o pequeno João Victor da Silva, de 6 anos. Além dele, morreram o adolescente Dalvan Silva Farias, de 16 anos, e Anete Nunes Pereira. O acidente aconteceu às 7h30, no quilômetro 83 da estrada. O ônibus - que saiu de Itapevi, Grande São Paulo, de madrugada e seguia para São Sebastião, litoral norte - era fretado. Mas, segundo a polícia, o veículo não tinha autorização da Artesp para fazer a viagem, sua vistoria estava vencida e carregava um número de passageiros acima do permitido. ?Os gastos com acidentes de trânsito que inclui resgate e tratamento médico são de R$ 22 bilhões ao ano?, diz Bicalho, superintendente da ANTP.Acidente sem vítimasMais um acidente, desta vez sem vítimas, ocorreu neste domingo na rodovia dos Bandeirantes. Na altura do km 64 da pista sentido São Paulo, o motorista de um caminhão perdeu o controle do veículo, que tombou na pista, ocupando todas as faixas de rolamento. A carga de extrato de tomate que o caminhão transportava ficou espalhada na via, que ficou totalmente interditada desde às 15h45 deste domingo, na região de Jundiaí, no interior de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.