Brigada Militar/Divulgação
Brigada Militar/Divulgação

Seis ônibus são incendiados na zona sul de Porto Alegre

Ataques aconteceram em quatro pontos diferentes e são retaliação à morte de traficante durante operação policial nesta segunda-feira

Luciano Nagel, Especial para o Estado

02 de dezembro de 2015 | 11h16

PORTO ALEGRE - A noite desta segunda-feira, 1º, foi marcada de pânico para os passageiros que utilizam o transporte público em Porto Alegre. Criminosos atearam fogo em pelo menos seis ônibus que circulavam pela zona sul da capital gaúcha. 

A atrocidade foi resultante de uma retaliação da marginalidade após a polícia realizar uma ação de combate ao tráfico de drogas em bairros da zona sul. Na tarde desta segunda-feira, um traficante foi morto a tiros por policiais. 

De acordo com a Brigada Militar, as ações dos marginais aconteceram nas Avenidas Oscar Pereira e Eduardo Prado, na Rua Ventos do Sul e no bairro Restinga, no extremo sul da capital, considerado um dos mais violentos. 

Na Avenida Oscar Pereira, pelo menos cinco criminosos, com armas em punho, atearam fogo em dois coletivos. O grupo bloqueou a avenida com pedaços de madeira impedindo a passagem do transporte público, que foi apedrejado. O motorista ficou ferido na cabeça e junto com os passageiros foi obrigado a deixar o veículo. Tiros foram disparados contra o para-brisa do ônibus, mas nenhum passageiro foi atingido. Após atearem fogo nos dois coletivos, os criminosos fugiram.

Já na Rua Ventos do Sul, seis homens fortemente armados desceram do carro e lançaram fogo em outros dois ônibus. O crime aconteceu no final da linha.

Na Avenida Eduardo Prado, segundo a polícia, o ataque teria acontecido com pelo menos dois motociclistas. 

Após a noite de terror, muitas linhas de ônibus que circulam na zona sul de Porto Alegre operam desde o início da manhã desta quarta-feira, 2, com restrições, o que prejudica milhares de passageiros que dependem do transporte público.

Tudo o que sabemos sobre:
PORTO ALEGREEduardo PradoRestinga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.