Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Seis PMs acusados de assassinato no PR

Seis policiais militares e o guardião da delegacia de Itaperuçu, a 30 quilômetros de Curitiba, estão sendo acusados de terem executado duas pessoas na noite de sábado, no lixão da cidade. Os dois mortos, Ezequiel Santos da Silva e Ezequiel Francisco dos Santos, eram foragidos da polícia. O caso está sendo apurado pela delegacia de Rio Branco do Sul. O delegado Mário Sérgio Zachesky, conhecido como ?Bradock?, disse que já foram identificados o guardião Valdir Matias dos Santos e os soldados Juliano e Fraga, do 17º Batalhão da Polícia Militar de Curitiba. Segundo ele, outros quatro policiais militares, do 13º Batalhão, também teriam participado da execução, mas ainda não foram identificados. Segundo o delegado, eles procuravam um foragido da polícia, conhecido como Joãozinho, mas encontraram somente Silva, que é seu irmão, e o cunhado, Santos. Na busca, eles teriam espancado várias pessoas na cidade. Os dois foram despidos no lixão, espancados e mortos com vários tiros. Também foram roubados um telefone celular e R$ 173,00 das vítimas. "Não quero saber quem são", disse o delegado. "Se fizeram besteira tem que pagar." Segundo a Comunicação Social da Polícia Militar, os soldados Juliano e Fraga estão recolhidos no batalhão. Por estarem em serviço, foi aberto um inquérito policial militar. Eles devem ser julgados primeiro pela Justiça Militar e, caso se comprove que cometeram crime doloso contra a vida, o inquérito será remetido à Justiça Comum. Sobre os outros policiais acusados de participar do crime, a Polícia Militar informa que investiga quem seriam.

Agencia Estado,

21 de maio de 2001 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.