Seis policiais denunciados por tortura e omissão em SP

O Ministério Público denunciou, hoje, por crimes de tortura e abuso de poder, o delegado de polícia Antonio Assunção de Olim, investigador Marcos de Franco, ambos da Divisão Anti-Seqüestro, o escrivão Carlos Alberto Uehara e o investigador Eder França, lotados no 70º DP. Os promotores Agda Maria Barbosa , Fábio José Bueno e Paulo Penteado Teixeira Júnior pediram à juíza Ivana David Borieiro, do Departamento de Inquéritos Policiais a prisão preventiva de todos, para evitar que em liberdade coajam vítimas e testemunhas. Os policiais são acusados de, em abril do ano passado, em Sapopemba, prender ilegalmente e submeter a maus tratos Jandirade Oliveira Azevedo, seu marido Leoclécio Zubem Azevedo, a vizinha do casal Carla Garcia dos Santos, que abortou durante astorturas e Vagner Maurício Moreira Belens. Os policiais queriam que as vítimas confessassem crimes que não cometeram, oseqüestro de Paulo Nunes Batista. Jandira e Leoclécio foram exibidos pelo delegado Olim, algemados e dentro do camburão policial, em programas de televisão ao vivo como se fossem os verdadeiros autores do seqüestro de Paulo Nunes. Foram também, denunciados por crime de omissão o delegado Fábio Nelson Fernandes e o investigador Anselmo Silvestre Sanches da Divisão Anti-Seqüestro, que nada fizeram para impedir as torturas.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2004 | 18h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.