Seis traficantes morrem em tiroteio por bocas-de-fumo

Seis traficantes morreram durante tiroteio na Favela da Carobinha, em Campo Grande, zona oeste, invadida por bandidos rivais da Favela Metral, em Vila Kennedy, no domingo à noite. Os criminosos queriam tomar os pontos de venda de drogas no morro. Na mesma noite, traficantes da Nova Holanda, na zona norte, trocaram tiros com policiais militares na Avenida Brasil. A via teve de ser fechada para que os motoristas não fossem atingidas por balas perdidas.Os traficantes da Carobinha foram mortos com requintes de crueldade ? levaram tiros de diversos calibres no corpo e na cabeça e tiveram as orelhas arrancadas a faca. Um corpo foi encontrado com a garganta cortada. Policiais do Regimento de Polícia Montada (RPMont) chegaram à favela por volta das 20h30 e trocaram tiros com bandidos. O policiamento no morro foi reforçado com quarenta PMs. Ocomandante do RPMont, coronel José Aurélio Maciel, ficou no local para comandar pessoalmente o esquema. De acordo com a PM, a Carobinha é dominada pela facção criminosa Terceiro Comando e a Metral, pelo Comando Vermelho. Maciel informou que haverá operações diárias no local, ?para garantir o direito de ir e vir das pessoas de bem.?Na noite de sábado, já havia ocorrido uma outra tentativa de invasão, que foi frustrada por uma patrulha do RPMont que passava pelo local. O chefe do tráfico na Carobinha, Paulo César Martins, o PC, de 31 anos, foi capturado no último dia 5, o que levou os rivais a invadir o morro e assumir o controle. Ele era um dos principais aliados na zona oeste de Paulo César da Silva dos Santos, o Linho, traficante mais procurado pela polícia.TiroteioA Avenida Brasil ficou fechada por quinze minutos no domingo, por volta das 19 horas. Traficantes da Nova Holanda trocaramtiros com PMs do 22º batalhão que patrulhavam a área. A polícia decidiu interromper o tráfego para proteger os motoristas das balas perdidas. Houve rápido engarrafamento, segundo o comandante do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais, coronel Pedro Paulo da Silva. Ninguém ficou ferido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.