Sem ações de impacto, Richa é alvo de críticas

PARANÁ

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

10 Abril 2011 | 00h00

Os primeiros 100 dias do governo Beto Richa (PSDB) foram mais de atividades internas do que de anúncio de programas. O governador ainda aguarda dos secretários relatórios sobre a situação financeira, funcional e de obras em cada pasta. Independentemente disso, ele ordenou corte de 15% nos gastos de custeio de toda a administração, para economizar R$ 480 milhões no ano. O anúncio de maior impacto foi o da criação do programa Paraná Competitivo, a nova política fiscal que prevê maior flexibilidade na concessão de benefícios para empresas que pretendem se fixar no Estado. A oposição, porém, aponta "lentidão" no governo. Segundo o deputado estadual Ênio Verri (PT), até agora não foi enviada nenhuma mensagem de Richa à Assembleia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.