Sem alarde, Fundação Casa abre nova unidade em São Carlos

Ex-prefeito Newton Lima Neto (PT), que se opôs à construção da unidade, criticou governador José Serra

Brás Henrique, de O Estado de S. Paulo,

03 de março de 2010 | 18h09

Sem alarde e cerimônia de inauguração, a unidade da Fundação Casa de São Carlos, na região de Ribeirão Preto, começou a funcionar nesta quarta-feira, 3. Sete menores infratores, que estavam no Núcleo de Atendimento Integrado (NAI), foram transferidos para a unidade, que teve investimento do governo estadual de R$ 4,3 milhões.

 

O prédio tem capacidade para 56 jovens: 16 internações provisórias e 40 internações. A abertura da Fundação Casa na cidade gerou indignação do ex-prefeito Newton Lima Neto (PT), que se opôs à construção da unidade.

 

Em nota, Lima Neto criticou o governador José Serra (PSDB) pelo ato, pois acredita que o NAI, que recebeu premiações por seu trabalho com jovens e adolescentes, estaria sendo desativado. A Fundação Casa diz que o NAI continuará fazendo o primeiro atendimento aos jovens infratores.

 

"Responsabilizo o governador José Serra pelo extermínio do projeto de ressocialização de jovens em conflito com a lei em São Carlos. O nosso projeto, construído a partir de 2001 e que ganhou reconhecimento nacional, sendo referência na área em todo o País, tem seu dia de chumbo na data de hoje", diz a nota de Lima Neto. "Lamento profundamente o início das atividades da unidade da Fundação Casa (antiga Febem) em São Carlos, imposta goela abaixo da sociedade sãocarlense pelo governo estadual", encerra a nota.

 

O diretor regional da Fundação Casa, Roberto Carlos Damásio, não quis entrar na polêmica política entre governo e ex-prefeito e destacou que foi feito um trabalho preventivo e prévio para a mudança dos sete jovens transferidos ontem (03). "O NAI vai continuar com o primeiro atendimento e receberá os jovens até 5 dias, até definição do juiz, mas quando o caso for de internação, eles seguirão para a Fundação Casa", explicou Damásio. Ele informou ainda que dos quatro atuais funcionários, três continuam no NAI.

 

O NAI é mantido em parceria pela prefeitura e pela Fundação Casa. Além desses órgãos, participam conselhos tutelares, segurança pública, universidades da cidade, advogados, igrejas, voluntários da comunidade, integrantes da iniciativa privada, Poder Judiciário e Ministério Público Estadual. Com a integração, a meta era dar agilidade e eficiência nos atendimentos de atos infracionais de jovens e adolescente desde o momento da apreensão policial até a determinação da sentença de aplicação de medida socioeducativa.

Tudo o que sabemos sobre:
São Carlos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.