Sem isolamento total, Beira-Mar não fica em SP, diz Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, reafirmou hoje que o traficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, deixará São Paulo, sendo transferido para outro Estado, caso a Justiça decida que o preso deve deixar o regime disciplinar diferenciado (isolamento total). "Se a Justiça entender que ele não pode ficar mais em regime disciplinar diferenciado, não há razão para ficar em São Paulo, porque penitenciária comum existe no Brasil inteiro", afirmou Alckmin.É esperada para hoje uma decisão do desembargador Denser de Sá, segundo vice presidente do Tribunal de Justiça do Estado. Segundo Alckmin, caso a Justiça entenda que o traficante deva ser mantido em regime disciplinar diferenciado, ele permanecerá "por mais uma temporada" no presídio de Presidente Bernardes até que o governo federal possa adaptar uma penitenciária para receber o criminoso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.