Sem-terra do MTL sofrem ataque de pistoleiros

Trabalhadores rurais sem-terra, ligados ao Movimento Terra, Trabalho e Liberdade (MTL), denunciaram nesta terça-feira que foram vítimas de um ataque-relâmpago, praticado por 15 homens armados, entre os quais um policial militar fardado não identificado. O ataque aconteceu no acampamento Manhoso, no município de Maragogi, na divisa com Jacuípe, a 128 quilômetros de Maceió."Fomos surpreendidos com a rapidez do ataque; por volta de uma hora da tarde cerca de 15 homens fortemente armados chegaram em duas caminhonetes, atirando e queimando os barracos do acampamento Manhoso", relatou Antônio José Gomes Soares, 28 anos, que faz parte da coordenação do MTL de Alagoas.Segundo "Irmão Antônio", como é conhecido, cinco sem-terra ligados ao MTL, entre eles um dos coordenadores (José Pedro da Silva, o "Irmão Zé") foram levados e estão desaparecidos. "Desses cinco, quatro foram levados algemados. O Irmão Zé deve ter sido levado também porque até o final da tarde ainda não tínhamos informações sobre o paradeiro dele", afirmou "Irmão Antônio".Os sem-terra comunicaram o fato ao tenente-coronel Adilson Bispo, chefe do Centro de Gerenciamento de Crise da Polícia Militar de Alagoas. "Tomamos conhecimento do fato e recomendamos aos coordenadores do Movimento que prestem queixa na delegacia de polícia de Maragogi", afirmou Bispo, acrescentando que fará uma visita ao local do ataque nesta quarta-feira. "Até agora não sabemos de onde partiu o ataque. Os sem-terra desconfiam que sejam policiais a serviço de fazendeiros, já estavam armados e usando algemas".

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2004 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.