Sem-terra protestam limpando ruas e praças

Mais de dois mil sem-terra do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão acampados no centro da cidade de Dourados, a 200 quilômetros de Campo Grande, no sul de Mato Grosso do Sul, desde as 7h desta terça-feira.Com ferramentas agrícolas e vassouras rústicas feitas com "guachuma", uma erva muito utilizada na varrição de casas na área rural, os sem-terra estão limpando ruas, carpindo terrenos baldios e praças públicas. O trabalho vai durar três dias, segundo informações da coordenação do MST em Campo Grande e é um protesto pela demora na reforma agrária no Estado. Os sem-terra estão em Dourados, depois de marcharem mais de 120 quilômetros, saindo de Batayporã, leste do Estado. De Dourados eles pretendem andar mais 200 quilômetros e chegar a Campo Grande no dia 19.O MST está organizando atos públicos em frente ao prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e passeatas para lembrar o Massacre de Eldorado dos Carajás, no dia 17 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.