Sem-teto deixam prédio abandonado e dirigem-se à Prefeitura

No final da noite de sexta-feira, um grupo formado por cerca de 150 sem-teto invadiu um prédio comercial abandonado na altura do nº 1.813 da Rua da Consolação, em frente ao cemitério, na região central da capital paulista. Minutos após a invasão, policiais militares do 7º Batalhão foram acionados por testemunhas e cercaram o edifício. Os invasores, que dizem pertencer ao Movimento dos Sem-Teto do Centro (MSTC), ao perceberem que a PM iria invadir o local com o uso, inclusive de bombas de efeito moral, resolveram desocupar o prédio pacificamente. Um dos sem-teto, alterado, quis agredir um policial militar e foi detido. O grupo, no qual há muitas crianças, promete ir para a frente da sede da Prefeitura de São Paulo, o Palácio do Anhangabaú, no final do Viaduto do Chá.No início da madrugada da última segunda-feira (29), cerca de 200 representantes de 12 movimentos por moradia já haviam acampado em frente à Prefeitura. Depois de 43 horas, as mais de 60 famílias da Frente da Luta por Moradia (FLM) levantaram acampamento. O objetivo da mobilização era que o governo municipal atendesse ou desse alguma resposta a 14 reivindicações do movimento. No final da tarde de terça-feira, a Secretaria de Habitação divulgou resposta aos itens da pauta do movimento. No texto, a secretaria afirma que a maior parte dos pedidos já está sendo atendida, e que a prioridade do governo é cuidar de famílias em áreas de risco, alojamento provisório deteriorado, favelas e cortiços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.