Sem-teto deixam prédio do CDHU e partem para terreno

Em assembléia realizada diante do prédio do CDHU, os sem-teto acampados no local decidiram acatar a proposta de ir para um terreno da companhia, na zona leste. Ao se dirigir aos demais sem-teto, a coordenadora Ivanete Araújo disse: "Ou agente sai, ou a polícia vai entrar batendo e quebrando tudo". "Para nós foi difícil, mas é importante dizer que vamos estar acampados no Águia de Haia, e amanhã vamos fazer reunião para dizer que o movimento não está morto, e o prédio vazio do centro que se cuide", disse. Em questão de minutos, os sem teto começaram a desmontar o acampamento, removendo as lonas e seus pertences.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.