Sem-teto invadem prédio na zona portuária do Rio

Ocupação foi batizada de Machado de Assis em homenagem ao escritor, que nasceu na região

Da redação,

22 de novembro de 2008 | 15h27

Cerca de cem famílias de sem-teto invadiram hoje, 22, um prédio abandonado no bairro da Gambôa, zona Portuária do Rio. Eles batizaram a ocupação de Machado de Assis, em homenagem ao escritor, que nasceu na região. Segundo a líder do grupo, que se identificou como Maria José, a maior parte das famílias é formada por camelôs que trabalham no centro e por pessoas desempregadas e endividadas, sem condições de pagar aluguel. "Nosso objetivo é garantir moradia a pessoas que não podem pagar aluguel ou estão sem trabalho ou super endividadas. A maioria é de pessoas que chegou a uma certa altura da vida sem conseguir moradia própria", disse Maria José à Agência Brasil. Segundo ela, existe um decreto da prefeitura, de 2006, que realizou diversas desapropriações para destiná-las a moradias populares, incluindo o prédio ocupado. "O movimento social saiu na frente para fazer cumprir esse direito que conquistou com o decreto, que estava engavetado", explicou. O ato foi planejado há 11 meses, de acordo com a líder do grupo: "Chegamos à conclusão de que era a hora de fazermos a ocupação". Com este, já são quatro os prédios ocupados por sem-teto no centro: Chiquinha Gonzaga, na rua Barão de São Félix, Zumbi dos Palmares, na avenida Venezuela, Quilombo das Guerreiras, na avenida Francisco Bicalho, e Machado de Assis, na rua da Gambôa.

Mais conteúdo sobre:
sem-tetoinvasãozona portuária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.