Sem-teto invadem prefeitura de Recife

Cerca de 100 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) invadiram hoje pela manhã o segundo andar da Prefeitura do Recife, onde funciona a Secretaria de Planejamento. Eles fizeram apitaço e sujaram os corredores com papel higiênico picado e areia de cinzeiros, que derrubaram e espalharam pelo chão. Aos gritos de "MTST, essa luta é para valer", eles exigiam uma audiência com o secretário municipal de Planejamento, Djalma Paes, para cobrar R$ 1 milhão prometidos pelo governo federal para compra de terreno e construção de casas em três acampamentos de sem-teto - dois no bairro do Ibura e um na Imbiribeira. Os manifestantes passaram quatro horas na prefeitura. Saíram depois que o secretário prometeu tentar um encontro, amanhã, com o ministro das Cidades, Olívio Dutra, que vem ao Recife. "Vamos cobrar o dinheiro e pedir a definição de um prazo para sua liberação", afirmou o líder estadual do MTST, reverendo Marcos Cosmo, da Igreja Anglicana. O único tumulto ocorrido durante a invasão deveu-se à reclamação do administrador da prefeitura, Carlos Augusto de Souza, quanto ao vandalismo praticado pelos sem-teto. Espalhou-se o boato de que o administrador teria batido num sem-teto e ele quase apanhou dos manifestantes. O mal-entendido foi desfeito antes da agressão se efetuar.Angela Lacerda

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.