Sem-teto invadem quatro áreas em Salvador

O Movimento dos Sem-Teto de Salvador (MSTS) promoveu ocupações de terrenos abandonados em quatro pontos da capital baiana no final de semana dentro da estratégia da entidade de pressionar a prefeitura de Salvador a construir casas populares para famílias carentes. Além das invasões, o MSTS obteve a adesão de mais 80 pessoas e planeja novas ações em toda a cidade.As novas áreas ocupadas ficam situadas em favelas como é o caso de Alagados, no Subúrbio Ferroviário, dentro do terreno do Programa Ribeira Azul, pelo qual famílias que moravam em palafitas num trecho às margens da Baía de Todos os Santos, estão sendo transferidas para lotes em áreas aterradas. A invasão dos sem-teto ocorreu num trecho desse terreno. Encostas de favelas situadas nos bairros Pirajá, Periperi e Pau da Lima também foram invadidas pelas famílias que ocuparam os poucos lotes livres desses locais.No acampamento-sede do movimento, na Estrada Velha do Aeroporto, periferia da capital baiana, já abriga 250 famílias mas, diariamente, o local é visitado por sem-tetos que perambulam por Salvador. Os líderes do movimento já realizaram várias reuniões com técnicos da Prefeitura e há a promessa da construção de 15 mil unidades populares nos próximos meses, mas enquanto o projeto não sair do papel as ocupações devem continuar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.