Seminário em MG discute combate ao roubo de cargas

Diante de um quadro nacional que contabiliza R$ 800 milhões em prejuízos e um dos seguros mais altos do mundo em função de assaltos nas estradas, o seminário Crime Organizado, Roubo de Cargas de Valores, que começou nesta quarta-feira, em Belo Horizonte, tem a função de reforçar as necessidades de integração entre as polícias do estado e federais no combate a este tipo de crime. A afirmação foi feita pelo vice-governador de Minas Gerais, Clésio Andrade, e presidente da Confederação Nacional deTransportes (CNT), que participou da abertura do encontro, acompanhado do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e do diretor de Com bate ao Crime Organizado da Polícia Federal, Getúlio Bezerra. O ministro da Justiça afirmou que o objetivo de iniciativas como essa é defender um sistema único de segurança. Bastos citou desfechos da chacina de Unaí como resultado desse tipo de trabalho e disse que isso só foi possível graças ao trabalho integrado das polícias civil de Minas Gerais e a Polícia Federal. Segundo Clésio Andrade, embora Minas Gerais conte com uma delegacia especializada no combate ao roubo de cargas, não há como estado e polícia realizarem um trabalho isolado nesse sentido. O seminário termina nesta sexta-feira. Segundo a Polícia Federal, estão reunidos representantes das regiões Sudeste e Centro-Oeste das polícias Federal e Rodoviária Federal, dos Ministérios Público, da Justiça e dos Transportes, além de empresários e autoridades federais e regionais.

Agencia Estado,

13 de agosto de 2004 | 03h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.