Senado ''anistia'' servidores que não marcaram o ponto

O Senado decidiu "anistiar" os servidores que não registraram horário de trabalho de acordo com as regras do ponto eletrônico. O sistema deveria valer a partir de 1.º de fevereiro. Ontem, porém, o primeiro-secretário da Casa, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), publicou ato atestando, "em caráter excepcional", o cumprimento integral de jornada para todo servidor que não figurou com falta em fevereiro.

Ana Paula Scinocca / BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2010 | 00h00

Na prática, funcionários que tenham registrado apenas a entrada na Casa, mas não a saída, estão livres de punição. Apenas quem não registrou nenhum horário será considerado faltoso.

Heráclito disse que a medida é "técnica" e negou fracasso no ponto eletrônico. Segundo ele, a medida foi tomada porque ainda não houve a instalação completa do sistema. "Os registros de entrada e saída estavam sendo feitos de modo manual (via computador), e isso estava dando problema. Não tínhamos como marcar punição. Haveria dois pesos e duas medidas", disse.

Até maio. De acordo com Heráclito, a expectativa é que, entre abril e maio, o novo sistema já esteja em funcionamento.

A Secretaria de Comunicação do Senado disse que o ponto eletrônico, via computador e senha digital, gerou problemas no caso de funcionários que cumprem a jornada sem pausa para almoço. "Isso estava acarretando falha no sistema", informou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.