Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Senado aprova projeto que equipara injúria racial ao racismo e aumenta pena

Proposta foi inserida na pauta em função do Dia Nacional da Consciência Negra e precisará passar pela Câmara e ser sancionada por Bolsonaro para entrar em vigor

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2021 | 18h39

BRASÍLIA - O Senado aprovou um projeto para enquadrar a injúria racial como crime de racismo. A proposta adequa a legislação a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e aumenta a pena para casos de discriminação racial no País.

A proposta foi inserida em um bloco de projetos pautados no Senado em função do Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado no próximo sábado, 20. O projeto ainda precisará passar pela Câmara e ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro para entrar em vigor.

Atualmente, os crimes de injúria racial e racismo são tratados de forma diferente na lei, mesmo que seja difícil separar uma prática da outra, o que pode levar alguns acusados a serem responsabilizados com sanções mais leves ou até se livrarem da prisão.

O projeto altera a Lei de Crimes Raciais e pune com reclusão de dois a cinco anos e multa o ato de injuriar alguém em função de raça, cor, etnia ou procedência nacional. Hoje, essa lei prevê punição de um a três anos para crimes de discrimação ou preconceito de raça, mas não fala em injúria. O Código Penal, por sua vez, pune o crime de injúria racial, mas com uma pena menor, também de um a três anos.

O crime de racismo é inafiançável e não prescreve pela Constituição. Defensores da alteração argumentam que equiparar a injúria ao racismo elimina a possibilidade de um criminoso ficar sem punição por conta do pagamento de fiança ou da demora para ser julgado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.