Senado autoriza empréstimo para transporte urbano de SP

Um mês e três dias depois de o Senado autorizar o empréstimo de R$ 493,8 milhões do BNDES para o sistema de transporte urbano de São Paulo, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) deu um novo aval à administração da prefeita Marta Suplicy. Os senadores aprovaram hoje projeto de resolução que autoriza a prefeitura a contratar financiamento de US$100,4 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o programa de reabilitação do centro da cidade, o Ação Centro. A CAE também aprovou regime de urgência para o projeto e, com isso, ele poderá ser votado no plenário do Senado ainda nesta semana. Apenas o senador Almeida Lima (PDT-SE) deu voto contrário ao projeto.Ele explicou que não tem nenhuma restrição ao município e à sua população, mas que continuará votando contra operações de crédito desse tipo até que o governo adote um tratamento diferenciado para as regiões mais carentes do País, como o Nordeste.Os dois empréstimos para São Paulo foram autorizados excepcionalmente pela União há dois anos, quando a dívida da prefeitura foi renegociada. Sem isso, a lei impediria as operações, já que a prefeitura ultrapassou o limite de endividamento de 1,2 vezes o valor da receita líquida. Os débitos acumulados pela cidade já superam 2,4 vezes a receita.O líder do governo, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), afirmou que esse é o último empréstimo à cidade em caráter excepcional. Segundo ele, o projeto vai beneficiar uma área da capital em que transitam cerca de 2,5 milhões de pessoas por dia e que está em processo histórico de degradação. "Esses recursos vão permitir reverter a desvalorização imobiliária da região e melhorar o perfil sócio-econômico da área central", disse Mercadante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.