Senado dificulta aprovação de empréstimo do BID para SP

Acaba de ser adiada pelo plenário do Senado a votação do projeto de resolução que autoriza a Prefeitura de São Paulo a tomar empréstimo do BID no valor de US$ 100,4 milhões para custear a revitalização do centro da capital. O plenário do Senado aprovou projeto de requerimento que retira a urgência na tramitação da proposta sobre o empréstimo. Não foi definida nova data para a votação. O plenário aprovou também um requerimento do senador Jefferson Peres (PDT-MA) para que o projeto de resolução, aprovado na terça-feira (2) pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), seja agora submetido à apreciação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O adiamento da votação se deve ao fato de que vários senadores o encaram como uma tentativa do governo federal de favorecer uma prefeitura administrada pelo PT (no caso, a administração da prefeita Marta Suplicy, aspirante à reeleição). O líder do governo no Senado, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), protestou contra a aprovação do requerimento que remete o projeto de resolução à CCJ. Mercadante observou que esse procedimento é inédito e advertiu que pode passar a ser adotado também no caso de projetos que autorizam empréstimos para outras cidades e outros Estados. A votação dos dois requerimentos pelo plenários se deu em sessão tensa, em que vários senadores levantaram a tese de favorecimento ao PT paulistano. O senador Osmar Dias (PDT-PR) disse ter a impressão de que "está sendo preparado o palco com vistas a criar um palco político-partidário e para obras que servirão de espelho em 2004".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.