Senado dos EUA pede que Brasil devolva Sean ao pai americano

Pai biológico briga para conseguir a guarda do filho que teve com uma brasileira; menino está no Rio

Associated Press,

25 de março de 2009 | 15h24

O Senado dos Estados Unidos pediu que o garoto Sean Goldman seja devolvido ao pai americano. Na noite da terça-feira, os congressistas aprovaram por unanimidade uma resolução com o pedido. David Goldman, pai de Sean, briga na Justiça pela guarda da criança. A mãe dele, a brasileira Bruna Bianchi, veio ao País em 2004 com o menino. Na ocasião, ela casou-se com o advogado João Paulo Lins e Silva.

 

Veja também:

linkVannuchi pede que termo 'sequestro' saia da ação

linkObama agradece análise da Justiça Federal no caso Sean 

 

David Goldman alega que a Justiça brasileira negou a custódia do filho de 8 anos. Os dois se casaram em 1999 e tiveram Sean em 2000, nos Estados Unidos. Quatro anos depois, Bruna trouxe o filho para o Brasil e pediu o divórcio de David. No País, ela entrou na Justiça pedindo a guarda do filho. No ano passado, Bruna morreu, após complicações no parto da filha com o segundo marido, o advogado João Paulo Lins e Silva. Desde então, Sean vive com o João Paulo, enquanto seu pai biológico luta pela devolução do filho.

 

A secretária de Estados dos EUA, Hillary Clinton e o Senado de Nova Jersey também já fizeram apelos pedindo que o menino seja levado de volta aos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Sean

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.