Senado resiste a negociar dívida

Integrantes da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado se mostraram ontem contrários à mudança no indexador da dívida pública, conforme proposta defendida na véspera pelo governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Ana Paula Scinocca / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2010 | 00h00

O tucano quer que a presidente eleita Dilma Rousseff negocie com Estados e municípios o uso de outro índice - desde 1997, a dívida é corrigida pelo IGP-DI mais 6%. A ideia de alguns governadores é usar o IPCA.

A reivindicação não é nova. Ao contrário, é recorrente no período pós-eleitoral. Em 2006, o então governador eleito José Serra teve discurso semelhante.

"É preciso cuidado quando se fala em mudança de indexador, para não alterar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)", afirmou o líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP). O senador Antonio Carlos Magalhães Jr. (DEM-BA) também se posicionou contrário à mudanças. "Uma negociação desse tipo exige variação mais AMPLA."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.