Senador e estatal negam que haja fraude em licitações

O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), dono da Manchester Serviços Ltda, divulgou nota para dizer que está, desde 1988, "afastado da gestão de todas as empresas" das quais é acionista, "inclusive a Manchester, como pode ser verificado nas juntas comerciais". "Não acompanho e não interfiro em quaisquer decisões", acrescentou.

, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2011 | 00h00

Na nota, afirma também que desconhece "os personagens das empresas concorrentes citadas na matéria (do Estado) e desafia "que alguém apresente prova" de interferência dele em concorrências públicas. O senador conclui: "Buscarei na Justiça a reparação de danos causados à minha imagem".

Em outra carta-resposta, a Petrobrás "rechaça com veemência as insinuações de favorecimento". A estatal destaca que 10 companhias foram convidadas para a licitação, além de prestadores de serviços. Sete apresentaram propostas - e a operação foi realizada por meio eletrônico. A Seebla, segundo a nota, tinha menor preço mas sua proposta tinha inconsistências, como alíquota do ISS menor que a praticada em Macaé e omissão dos percentuais de encargos sociais exigidos. "A proposta desclassificada não seria exequível mesmo que a empresa operasse com taxa de administração e lucro zero", diz a estatal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.