Sepultado peão pisoteado por touro em rodeio

O corpo do peão Paulo Sérgio da Silva, de 25 anos, foi sepultado na tarde desta segunda-feira. Ele morreu na noite de ontem, após cair do touro Desafio e ser pisoteado na cabeça pelo animal. Ele foi socorrido, mas chegou sem vida à Santa Casa de Franca. O incidente ocorreu durante as semifinais do rodeio da 13ª Festa do Peão de Patrocínio Paulista, na região de Ribeirão Preto. Silva era peão profissional e morava na cidade. O show de encerramento da festa, de Ruan e Rafael, foi interrompido após ser divulgada a informação sobre a morte peão. O delegado de Patrocínio Paulista, Manir Martos Salomão, abriu inquérito policial para apurar o caso. O dono do touro, Robson Clayton, de Brodowski, deverá responder por homicídio culposo (sem intenção). Clayton, que é tropeiro (dono de vários animais) há dois anos, viu a montaria de Silva. Nos pulos do touro, que gira com rapidez, Silva foi lançado ao chão, em direção ao brete (local onde o animal é solto), mas não teve tempo de defender-se. As patas traseiras do touro pisotearam o rosto do peão. Os salva-vidas (palhaços que atraem o animal e defendem os peões) não tiveram tempo para agir. Silva foi socorrido imediatamente à Santa Casa local, que, no entanto, não tinha recursos para o atendimento. Ele foi levado para Franca, mas não resistiu. "O peão era profissional, premiado e estimado na cidade, mas foi um acidente de trabalho", disse o tropeiro Nenê Pedrin, também de Patrocínio Paulista, há 18 anos no ramo. Ele informou que Antonio Roberto da Silva, de 27 anos, irmão de Paulo Sérgio, também é peão de rodeio. "Fiquei sem jeito de ir ao velório", disse Clayton. O tropeiro informou que o touro Desafio tem cinco anos e há três anos é usado em rodeios. O animal será afastado das competições nos próximos meses. "Vou retirá-lo e isolá-lo, mas não aposentá-lo", explicou Clayton, que ficou assustado quando várias pessoas tentaram matar o animal quando chegou a informação da morte de Silva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.