Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sepultados em Sorocaba turistas mortos em Bariloche

Num clima de tristeza e comoção, foram sepultados hoje, em Sorocaba, os corpos dos três turistas brasileiros que morreram em um acidente, no último dia 1º, em Bariloche, na Argentina. O jipe Land Rover em que viajavam em um tour pela região montanhosa de Cerro Lópes foi atingido na queda de uma árvore, durante um temporal.As famílias da contabilista Alessandra Marques de Oliveira Moraes, de 31 anos, e do casal Maurício Shozo Tanaka, de 50, e Paulina Tanaka, de 48, que não se conheciam, compartilharam no mesmo velório as tristes coincidências da tragédia. Os corpos foram velados em salas vizinhas no velório da empresa funerária Ofebas.Os Tanaka moravam em Santos, mas a família é numerosa e conhecida em Sorocaba, assim como os familiares de Alessandra e de seu marido, o médico anestesista José Carlos de Moraes Júnior. Mais de mil pessoas passaram pelo velório durante a madrugada e a manhã de ontem. O médico, abatido, foi medicado durante o período em que permaneceu ao lado do caixão da esposa. O pai de Alessandra, Armando Marques, também passou mal. Ele perdeu a esposa há um mês.Segundo parentes, Alessandra era muito apegada à mãe e viajou com o marido para se refazer da perda. Eles estavam casados havia seis anos e recentemente se mudaram para São Paulo, pois José Carlos estava trabalhando no hospital Santa Marcelina. Tinham feito planos de ter um filho. Alessandra havia encomendado a celebração de uma missa, na sexta-feira, em Bariloche, em memória da mãe, mas morreu um dia antes. O marido, que estava ao seu lado no veículo, não foi atingido.O casal Tanaka viajava atrás do motorista argentino Héctor Greinberg, que também morreu. Um parente dos Tanaka, o comerciante Kazuo Sakata, disse que o casal estava viajando desde o último dia 26. Era a sua primeira viagem internacional. Maurício e Paulina estavam morando em Santos, mas preparavam a volta para Sorocaba. Eles deixaram os filhos Renato e Ricardo e uma netinha.Empenho do governo argentinoSakata, casado com uma irmã de Paulina, também estava em Bariloche e deveria ter participado da mesma excursão. "Na última hora, nem sei porque, mudei o roteiro." Ele conta que o tempo estava muito ruim e um segundo jipe que participava do passeio quase foi atingido por outra árvore. As chuvas e o difícil acesso dificultaram o resgate dos corpos, só concluído no dia seguinte.Segundo o comerciante, as autoridades argentinas fizeram todo empenho para não retardar a liberação dos corpos. O cônsul brasileiro em Buenos Aires viajou a Bariloche para assinar os papéis, evitando maior perda de tempo. Os corpos foram trazidos num avião da Aerolíneas Argentinas e desembarcados no aeroporto internacional de Guarulhos. Os corpos dos Tanaka foram sepultados no cemitério de Saudade, no jazigo da família. O corpo de Alessandra foi enterrado no cemitério Pax.

Agencia Estado,

04 de julho de 2004 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.