Seqüestrado liga para namorada, que aciona polícia em SP

Mesmo em poder de seqüestradores, um engenheiro conseguiu ligar para o celular da namorada, simular uma conversa com a quadrilha e dar as coordenadas para onde era levado pelos criminosos. Isso ajudou a polícia a prender os seqüestradores e libertar a vítima. O engenheiro civil, de 33 anos, deixava a namorada em casa, na região de Santo Amaro, zona Sul de São Paulo, na noite desta segunda-feira, quando teve o carro, um Córdoba, fechado por um Gol, onde estavam cinco homens armados.A namorada já tinha saído do carro, quando três dos cinco bandidos invadiram o Córdoba do engenheiro e o levaram para fazer saques em caixas eletrônicos da região. Com a vítima, os bandidos passaram pela ponte João Dias, ainda em Santo Amaro, e foram na direção de uma loja do hipermercado Extra, na Avenida Maria Coelho de Aguiar, onde há um terminal do Banco do Brasil. Enquanto Fábio Santana de Souza, 25, e Armando Ferreira da Cruz, 20, sacavam dinheiro da conta do engenheiro, outro seqüestrador tomava conta da vítima numa rua próxima ao supermercado.O que ajudou a polícia a localizar os seqüestradores e a vítima, é que, sabendo que a namorada havia presenciado a abordagem do grupo, o engenheiro conseguiu de dentro do carro ligar para a garota teclando apenas um número do aparelho. Sem que os bandidos percebessem que ele havia feito uma ligação e que a namorada estava do outro lado da linha, o engenheiro começou a questionar, propositadamente, os bandidos, querendo saber o porquê deles estarem passando por aqueles locais, descrevendo-os em voz alta. Enquanto isso a namorada passava os dados para a polícia.A polícia prendeu Fábio e Armando no momento em que eles estavam saindo do caixa eletrônico. Percebendo a aproximação dos policiais, o seqüestrador que tomava contada vítima abandonou o engenheiro e fugiu. O caso foi registrado no 11º Distrito Policial, de Santo Amaro, na zona sul da capital paulista. As informações são da Rádio CBN.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.