Seqüestrador denuncia policiais em entrevista para TV

Um dos mais temidosseqüestradores de Campinas, Wanderson Nilton de Paula Lima,conhecido como Andinho, procurou hoje, uma emissora local detelevisão para denunciar o envolvimento de seis policiais emseqüestros cometidos na cidade. A entrevista ocorreu quatro diasdepois do afastamento de dois policiais, acusados departicipação em vários desses crimes.Eudes Trevisan, investigador da DelegaciaAnti-Seqüestros, e Rogério Luiz Salum Dinis, do 4º DistritoPolicial, de Campinas, foram afastados por 60 dias depois quepoliciais da própria Delegacia Anti-Seqüestro passaram ainvestigá-los. Eles foram flagrados em conversas telefônicas comAndinho, acertando detalhes de um seqüestro.O grampo foi feito com autorização judicial. A políciajuntou duas horas de conversas. Trevisan admitiu o contato, masnegou o envolvimento com o seqüestrador. A polícia abriuinquérito policial e sindicância administrativa para apurar ocaso. Os dois policiais foram afastados por 60 dias,prorrogáveis para 90. Depois disso, se as investigações aindanão estiverem concluídas, ambos deverão cumprir serviçosburocráticos até o julgamento penal.O delegado Anti-Seqüestro Joel Antônio Santos, disse queoutras pessoas foram citadas nas conversas telefônicas e estãosendo investigadas. Mas garantiu que nenhum dos citados épolicial. Ele acredita que Andinho procurou a televisão paradesacreditar a delegacia, que está prendendo os membros de suaquadrilha.No dia 1º deste mês, investigadores detiveram CristianoNascimento Faria e Edmar Carlos Bazilato em uma chácara nacidade de Americana. Os dois são ligados ao seqüestrador. Cincodias antes, havia sido preso, em Campinas, outro membro daquadrilha de Andinho, Jimisol Pereira Soares.Na entrevista à tevê, o seqüestrador afirmou que estavaem Americana no dia da prisão de seus dois comparsas, mas pagouUS$ 150 mil para fugir. O delegado negou e disse que participouda diligência. "Nosso objetivo era prender Andinho, mas ele nãoestava lá", informou.Andinho contou ainda que os policiais forneceriam armasà sua quadrilha, visitariam os cativeiros, definiriam as vítimase como deve ser feito o pagamento do resgate. O seqüestradordisse que procurou a televisão por temer ser morto pela polícia,como queima de arquivo.Santos reconheceu que os seqüestradores presos tinhamuniformes da polícia e não descartou que eles tenham sidofornecidos pelos dois policiais acusados.Nomes - O diretor do Departamento de Polícia do Interior(Deinter) 2, Eduardo Hallage, disse que a emissora de tevê nãoinformou o nome dos policiais citados por Andinho na entrevista."Não posso investigá-los se não sei quem são", alegou. Odiretor acrescentou que os responsáveis pela entrevista deverãoser chamados para depor. A emissora divulgou se o caso foisubmetido ao seu departamento jurídico.Fugitivo da polícia desde junho do ano passado, quandoescapou da Penitenciária de Hortolândia, Andinho está condenadoa 20 anos de prisão por três homicídios. É um dos bandidos maisprocurados de Campinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.