Seqüestrador é condenado a 74 anos e 4 meses de prisão

O homem que chefiou o seqüestro do prefeito de Santo André Celso Daniel (PT), assassinado em 20 de janeiro de 2002, Ivan Rodrigues da Silva, o Monstro, foi condenado a 74 anos e 4 meses de prisão, em regime fechado, pelo seqüestro de três pessoas na capital. Seus cúmplices - Sileide Rocha Ferreira, Ricardo de Godoy Guimarães, Abrão Venâncio e Elias Manoel da Silva - foram condenados a penas que variam de 47 a 51 anos em regime fechado.O juiz Marcelo Fairbanks von Uhlendorff, da 5.ª Vara Criminal da Capital, condenou Monstro e seu grupo por formação de quadrilha, extorsão mediante seqüestro e receptação. O criminoso está preso desde 1.º de março no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Hortolândia, no interior..Mesmo procurado por grande parte das Polícias Civil e Federal de São Paulo, durante a caçada aos matadores do prefeito, Monstro continuou praticando seqüestros. Como parte de sua quadrilha estava presa pelo seqüestro de Daniel, o bandido formou rapidamente outro grupo.Em 5 de junho de 2002, horas depois de ter seqüestrado uma vítima em Diadema, na Grande São Paulo, Monstro foi preso numa favela na Barra Funda, zona oeste.

Agencia Estado,

11 de abril de 2004 | 20h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.