Seqüestrador e seu segurança se entregaram sem resistir

O Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc) prendeu nesta segunda-feira pela manhã o traficante e seqüestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, um dos bandidos mais procurados pela polícia paulista. Envolvido em vários seqüestros na região de Campinas, Andinho tinha até segurança: um policial militar.A prisão ocorreu numa chácara no bairro do Itaim, zona rural de Itu, a 98 quilômetros de São Paulo. Um dos integrantes do bando, Valdeci de Souza Moura, o Fiinho, foi morto pelos policiais. Braço direito e motorista de Andinho, ele tentou fugir pulando o muro da casa com duas armas e deu de cara com o cerco policial. Morreu na troca de tiros. "Vencemos uma importante batalha. Foi dado um grande passo para desarticular uma organização criminosa", afirmou o governador Geraldo Alckmin (PSDB).CorregedoriaO PM que fazia segurança para Andinho é o soldado Ronaldo Azevedo de Góes Pires, de Campos do Jordão, Vale do Paraíba. "O PM estava dando cobertura, segurança para o Andinho", afirmou o secretário da Segurança, Saulo Abreu. A Corregedoria da PM já está investigando o caso.A polícia também prendeu a irmã de Fiinho, Rosely de Souza Moura, que seria namorada do PM. Foi ela quem alugou a chácara, há quatro dias. Na casa, os policiais encontraram um papel com um endereço na zona leste de São Paulo. No endereço, a polícia prendeu três pessoas, que serão investigadas.InvasãoO esconderijo do bando em Itu foi invadido às 8h30 pelos homens da 2ª e 4ª Delegacias do Denarc. A chácara Recanto Luzia fica no condomínio Chácaras Carolina, a 1.700 metros da Rodovia Marechal Rondon, que liga Itu a Porto Feliz. O bando estava desde a noite da última quinta-feira na casa, com piscina, alugada por três meses.Segundo o delegado Ubiraci Pires da Silva, do Denarc, a polícia seguia os movimentos do grupo havia cerca de um mês. O cerco à chácara foi montado neste domingo à noite. Andinho chegou ao local na madrugada desta segunda, num Audi roubado no domingo. No imóvel havia ainda um Citroën Tsara, um Palio e uma motocicleta Honda CBR-900.Sem resistênciaA caseira Aurinete Nascimento, que cortava grama na chácara vizinha, largou o equipamento e saiu correndo quando percebeu a chegada da polícia. "Foram uns dez tiros", disse. Andinho e o PM entregaram-se sem resistência. "Ele pediu pelo amor de Deus para a gente não atirar", disse o delegado. O criminoso admitiu que o último seqüestro praticado por seu bando foi o de uma menina.Na casa, de quatro quartos, havia um arsenal: quatro fuzis (dois AK, um deles russo, um HK, da Aeronáutica, e um AR-15); três pistolas; duas submetralhadoras; e uma sacola com munição. Foram achados dois gorros, três coletes à prova de bala, uma peruca e cinco aparelhos de comunicação (celulares, rádio e Nextel).A polícia levou os bandidos para o Denarc, onde eles serão autuados por formação de quadrilha e porte ilegal de armas. O casal de filhos pequenos de Rosely, que também estava na chácara, foi levado ao Conselho Tutelar de Itu. A polícia já tem provas do envolvimento de Andinho em oito seqüestros, mas acredita que esse número seja muito maior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.