Seqüestrador é suspeito de matar empresário húngaro

O assaltante conhecido como "Buiu", acusado de seqüestros relâmpagos e assaltos, é apontado pela polícia como autor do tiro que matou, na última sexta-feira à noite, o empresário húngaro Lajos Takats, de 66 anos.O assassinato ocorreu durante assalto à loja de conveniência de um posto da Avenida Morumbi, na zona sul. O empresário foi enterrado neste domingo pela manhã no Cemitério São Paulo, em Pinheiros, zona oeste da capital paulista.Takats estava no posto esperando, pela namorada e a mãe dela, que vinham do interior para passar o fim de semana com ele. Não percebeu que a loja estava sendo assaltada por quatro homens. Buiu é irmão de D.M.F., de 17, mora em Vila Brasilândia, na zona norte de São Paulo, e está sendo procurado desde a tarde deste domingo.D.M.F e R.R.S., também de 17, foram presos por policiais militares no interior da loja, após libertarem cinco pessoas. Eles já tinham roubado R$ 700,00 em dinheiro, 21 pacotes de cigarros e duas caixas de goma de mascar.D. estava com um revólver calibre 38. O suspeito do crime e um outro assaltante saíram da loja levando um funcionário como refém. Ao passar ao lado do carro onde Takats estava abaixado, por causa dos tiros, Buiu, segundo testemunhas, apontou o revólver e atingiu o empresário à queima-roupa.O delegado José Roberto dos Santos, do 34.º Distrito Policial, de Vila Sônia, ficou impressionado com a "frieza" dos menores. "Eles têm plena noção de que nada lhes vai acontecer. Sabem que a punição maior seria o envio para a Febem", afirmou Santos. "Cínicos, alegaram que somente responderiam às perguntas para um juiz."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.