Seqüestrador e vítima morrem durante perseguição na Régis

A perseguição da Polícia Militar a uma quadrilha que assaltava caminhoneiros na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), que liga São Paulo a Curitiba, terminou de maneira trágica, no fim da noite de segunda-feira, 10. Surpreendidos durante a ação, os bandidos fugiram numa Blazer levando o motorista João Silvano da Silva, de 61 anos, como refém, mas bateram e capotaram o veículo. Silva e um dos assaltantes, Alexon Vilson Galvão, de 27 anos, morreram na hora. Outros três bandidos ficaram feridos no acidente. A Blazer ocupada pela quadrilha, placas GUU 4334, de Ribeirão Preto, estava equipada com giroflex, como as viaturas policiais. O veículo emparelhou com o caminhão Mercedes Benz com baú, dirigido por Silva, e os ocupantes fizeram sinal para que parasse. Silva, que seguia no sentido Paraná, desconfiou e acelerou o veículo, mas os bandidos atiraram duas vezes e ele parou no acostamento, na altura do quilômetros 524, em Cajati. Uma moradora viu quando ele foi rendido e ligou para a polícia. Alguns caminhoneiros, atendendo a acenos da mulher, também pararam, assustando os bandidos. Eles obrigaram o caminhoneiro a entrar na Blazer e fugiram em direção a São Paulo. Policiais do 14º. Batalhão de Policiamento do Interior (BPM-I) de Registro, Cajati e Juquiá foram acionados e iniciaram a perseguição. Segundo a polícia, os bandidos rodaram mais de 100 quilômetros em alta velocidade - a 180 km/h - mas, na altura de Juquiá, bateram na traseira de um caminhão e capotaram. Os corpos de Silva e do seqüestrador foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML) de Registro. Os outros três assaltantes presos foram identificados como Francisco Germano Lima, Paulo Sérgio Cardim e Rodrigo Ferreira Garcia. Feridos, foram levados para o Hospital Regional de Pariquera-Açu. Cardim recebeu alta ontem e foi autuado em flagrante. Ele ficou preso na Cadeia Pública de Jacupiranga. Os outros permaneciam internados. Não foram encontradas armas com o bando. A Polícia acredita que, durante a perseguição, eles se desfizeram do armamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.