Seqüestradores de herdeiro da Kalunga são presos em SP

Policiais da Delegacia Anti-Seqüestro (DAS) de Sorocaba, no interior de São Paulo, prenderam no final da tarde desta quarta-feira, 14, dois acusados de participar no seqüestro do empresário Mário Sérgio Menezes Garcia, de 53 anos, herdeiro da rede Kalunga. Dominado em seu haras, no município de São Roque, no dia 17 de dezembro, Garcia ficou seis dias em poder dos bandidos. Ele foi solto depois do pagamento de resgate. Os acusados, um homem e uma mulher que não tiveram os nomes divulgados, foram detidos em Carapicuíba e Cotia, na Grande São Paulo. Os policiais apreenderam parte dos objetos levados da fazenda do empresário, como quadros, peças de bronze e talheres de prata. O material estava na casa do suspeito de ser o chefe da quadrilha, que ainda não foi preso. Também foi localizado o cativeiro, um buraco no meio da mata densa, no município de Carapicuíba. Segundo o delegado Wilson Negrão outros quatro integrantes do bando já foram identificados e estão sendo procurados. Ele não divulgou os nomes para não prejudicar a captura. O empresário esteve em Sorocaba e reconheceu um dos bandidos. Ele ainda está sob atendimento psicológico e não quis falar com a imprensa. A quadrilha é especializada em roubos de cargas e em arrastões em chácaras da região. Na sede do haras de Garcia, eles usaram um caminhão para transportar os produtos do roubo, incluindo as roupas que estavam em armários.

Agencia Estado,

14 Fevereiro 2007 | 18h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.