Seqüestradores de Olivetto saíram às pressas

Pistas deixadas pelos seqüestradores do publicitário Washington Olivetto na casa da Rua Kansas, usada como cativeiro, dão a impressão de que eles saíram às pressas do local ontem à noite. A quadrilha deixou restos de comida em cima da mesa da cozinha, incluindo frango frito pronto para servir.A casa do bairro do Brooklin onde ficou o publicitário tem três quartos e é considerada de alto padrão. O quarto onde ficou Olivetto tem 1,5 metro por 3 metros, no segundo andar. Lá havia um colchonete e inscrições nas paredes, possivelmente do publicitário. Uma das frases dizia: "Patricia, meu amor, te adoro", numa possível referência à mulher de Olivetto, Patricia Viotti. O local tem isolamento acústico, câmeras e tubulação para ventilação.Dentro da casa foram encontrados mapas da cidade de São Paulo, dois colchões de casal, camisinhas, aparelhos de ginástica, rum cubano e um pote escrito "azucar" (açúcar em espanhol). Havia também roupas masculinas e femininas e CDs falsificados de artistas como Skank, Pink Floyd e do pagodeiro Alexandre Pires.Publicitário recebe carinho dos amigosDurante toda a manhã e começo da tarde, Olivetto recebeu flores e telegramas dos amigos aliviados com o final do seqüestro. O também publicitário Marcelo Serpa apareceu pessoalmente no prédio da Alameda Franca, onde mora livetto, para entregar uma lembrança. Às 15 horas, o jornalista Juca Kfouri subiu ao apartamento de Olivetto e conversou rapidamente com os jornalistas. Ele contou que tem falado constantemente com o amigo por telefone e que Olivetto está abatido. "Olivetto está como qualquer pessoa que passa por uma situação difícil como esta."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.