Seqüestradores paulistas queriam se instalar no Rio

O delegado Fernando Moraes, titular da Divisão Anti-Seqüestro do Rio, afirmou que a quadrilha de São Paulo que seqüestrou na última terça-feira a atriz Vanessa Bueno estava montando um esquema para agir em série e praticar outros seqüestros e crimes no Rio. No cativeiro da atriz da ?Turma do Didi?, da Rede Globo, foi encontrado um grande estoque de comida e roupas, indicando, segundo o delegado, que eles pretendiam manter outras vítimas no local. "Eles fizeram uma tentativa infeliz. Já temos bandidos demais aqui no Rio, não precisamos importar, aqui eles não vão se criar", disse Moraes.O delegado afirmou ainda que pretende procurar a Secretaria de Segurança de São Paulo para saber se os criminosos teriam algum tipo de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC). Um deles, Marcos Alan de Souza Moraes Moura, de 21 anos, preso hoje à tarde, contou ao Estado que tinha acabado de deixar a cadeia, depois de cumprir pena de dois anos e oito meses por assalto.O delegado disse ainda que acredita que a quadrilha pretendia se instalar no Rio e começar a seqüestrar e roubar donos de carros importados. "Pela modalidade do crime, eles agem de maneira semelhante à forma como atuam em São Paulo", disse. Um dos dez integrantes da quadrilha preso ontem à tarde, antes da libertação da atriz, o paulista Cleverton Coelho de Resende, de 27 anos, afirmou que os seqüestradores não tinham intenção de matá-la. "A gente só precisava do carro (o Cherokee)?, disse, antes de ser levado para o Hospital de Saracuruna. Ele foi baleado na perna durante o confronto com os policiais da DAS em Magé. Cleverton afirmou que o grupo não tem apoio do PCC. "Viemos tentar aqui no Rio porque está difícil em todo lugar, mas demos azar. O pessoal não planejou direito", afirmou. "No Rio, nunca mais?. O outro integrante paulista do bando, Marcos Alan de Souza, contou que os criminosos só descobriram que Vanessa era atriz da Rede Globo ao assistir uma reportagem sobre o desaparecimento dela no RJ TV. "Só descobri depois que vi no jornal. A gente só queria o carro importado dela", afirmou. Marcos estava na casa que servia de base em Magé e foi preso na operação de hoje. O criminoso confirmou ainda que a atriz estava no cativeiro em Guapimirim, onde horas depois ela foi encontrada.

Agencia Estado,

24 de maio de 2002 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.