Sequestro de comerciante por policiais termina em tiroteio

Trio foi surpreendido por integrantes da Rota quando iria receber resgate no Shopping Center Norte

Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

22 de maio de 2009 | 00h00

O que devia ser mais um achaque cometido por policiais corruptos terminou em um tiroteio entre os criminosos e homens das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota). Dois policiais e um informante sequestraram anteontem um comerciante em Itaquaquecetuba, mas foram surpreendidos quando se preparavam para receber o resgate, no estacionamento do Shopping Center Norte, na zona norte de São Paulo. Um dos bandidos foi baleado e preso e a vítima, libertada.O comerciante estava em seu mercado, em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, quando os acusados chegaram. Eram 11h30. Os policiais acusavam o comerciante de dar o "golpe da arara", que consiste em montar um negócio para comprar o máximo de mercadorias e, então, fechar as portas, sem pagar fornecedores. Os policiais levaram o comerciante e telefonaram para sua família, exigindo R$ 50 mil de resgate.Um parente da vítima disse aos policiais que só podia reunir R$ 25 mil. Combinaram, então, que o dinheiro seria entregue no estacionamento do shopping. Quando o parente se dirigia ao local combinado, ele cruzou na Marginal do Tietê com uma viatura da Rota. O homem deu sinal para a viatura, que parou. Ele contou o que estava acontecendo, que ia entregar o dinheiro do resgate no estacionamento. Os policiais da Rota resolveram acompanhá-lo.Quando o parente foi entregar o dinheiro, os policiais da Rota deram voz de prisão ao homem que se aproximou para apanhar os R$ 25 mil. O suspeito teria sacado sua arma. Os PMs da Rota revidaram e balearam o suspeito nas nádegas. Enquanto isso, seus comparsas deram partida no Gol em que estavam. Queriam fugir levando a vítima, que estava no banco traseiro. Os acusados pararam na cancela do estacionamento para colocar o cartão que liberava a passagem. Foi quando a vítima aproveitou para abrir a porta traseira e pular do Gol.Os acusados fugiram. O suspeito baleado foi levado pelos homens da Rota para o Hospital do Mandaqui, onde foi identificado como o carcereiro João Carlos Teodoro, que trabalha no 101º Distrito Policial, no Jardim das Imbuias, zona sul de São Paulo. Ele recebeu alta e está no presídio da Polícia Civil.A Divisão de Operações Policiais (DOP) da Corregedoria da Polícia Civil foi informada e fez a prisão em flagrante do carcereiro. Os homens da corregedoria localizaram o Golf de Teodoro no estacionamento do shopping. Também identificaram os outros dois acusados - um policial militar e um informante da polícia. A DOP ia pedir à Justiça a prisão preventiva de ambos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.