Seqüestros fazem paulistano mudar comportamento

Quase metade da população de São Paulo (47%) mudou de comportamento por causa do aumento do número de seqüestros e 44% querem mais polícia nas ruas, revela a pesquisa realizada pela H2R Pesquisas Avançadas. A pesquisa foi realizada no dia 23 de janeiro, com 202 pessoas de 14 a 65 anos, de todas as classes econômicas.As mulheres e os homens de 18 a 50 anos são os que mais alteraram o comportamento em relação à segurança. Dos paulistanos que mudaram alguma coisa no modo de vida, 36% passaram a ficar mais atentos na rua, 22% passaram a sair menos de casa, 15% voltam mais cedo quando saem à noite, 11% ficam olhando para os lados constantemente.Além disso outros hábitos também se alteraram: os vidros dos carros agora ficam fechados (9%), as casas estão mais trancadas (7%), só saem de casa acompanhados (7%) e 6% estão mais estressados. Os bancos e os caixas eletrônicos também foram afetados: 5% não vão mais a estes estabelecimentos.Um outro dado relevante é o de paulistanos que já foram assaltados, roubados ou furtados: 44% dos entrevistados já tiveram alguma experiência neste sentido, principalmente os que tem mais de 36 anos. Um outro fato pesquisado foi o número de vezes que elas já passaram pela experiência: 2,4 vezes.Marcela Barbara, da H2R, diz que "com certeza, estes números não são compatíveis com os dados oficiais uma vez que 38% deles nunca deram parte à polícia, principalmente na 2ª ou 3ª vez em que foram assaltados".Segundo ela, a falta de confiança na polícia foi a principal razão para não registrar o roubo/assalto: 38% acreditam que não adianta nada, seguindo o baixo valor do objeto roubado (26%). A burocracia também é outro entrave para denunciar o roubo: 24% não deram queixa à polícia pois acreditam que iriam perder muito tempo. O medo de represálias dos assaltantes é outra razão para não dar parte: 9% temem que o assaltante retorne.A pesquisa mostrou ainda que para os entrevistados a principal saída para resolver o problema da segurança em São Paulo seria colocar mais policiais nas ruas (44%). Ter leis mais rígidas (17%), pena de morte (14%), melhor treinamento para os polícias (12%) e acabar com a corrupção na polícia (8%) também são medidas sugeridas pela população.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2002 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.