Serra cria departamento de proteção à cidadania

Uma das principais apostas do governador José Serra na Segurança Pública, o Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) vai ter uma divisão de crimes contra o meio ambiente e outra para apurar os delitos de funcionários públicos. O decreto do governador que cria o órgão foi publicado ontem no Diário Oficial. O departamento terá cinco importantes divisões. Uma para apurar crimes contra o consumidor e outra para os delitos contra a saúde pública. As outras duas são a Divisão de Crimes Contra a Fazenda - contará com quatro delegacias, uma das quais para investigar a lavagem de dinheiro -, Contra o Meio Ambiente e Contra a Administração Pública.Esta última será responsável por apurar casos de corrupção, peculato (desvio de bens públicos) e de exigências de propina feita por funcionários públicos em São Paulo, exceto os de policiais civis, que continuarão sob responsabilidade da Corregedoria da Polícia Civil. Segundo o secretário da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, o governo procura com o novo departamento corrigir distorção observada nos distritos policiais da capital em que a apuração de delitos fazendários e contra a saúde pública era feita em detrimento de crimes como roubos e tráfico de drogas. Para Ferreira Pinto, o DPPC é importante ainda porque "o verdadeiro combate ao crime organizado passa pela repressão à lavagem de dinheiro e à ocultação de ativos".Ferreira Pinto estuda o nome de três delegados para a direção do novo departamento, que deve sair do papel assim que termine a reforma do prédio na Avenida São João, no centro de São Paulo, que vai abrigá-lo. O diretor do DPPC deve ser conhecido na próxima semana, quando ocorrerão novas mudanças na cúpula da Polícia Civil, com a alteração da direção de departamentos, divisões e de delegacias seccionais da polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.