Serra defende, no interior, pena diferenciada para menores perigosos

O candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, José Serra, defendeu nesta quarta-feira, 02, a manutenção da maioridade nos atuais dezoito anos, com a ressalva de aumentar a pena dos menores de alta periculosidade e deixá-los separados dos menores detidos por crimes leves."É importante que os menores delinqüentes, os assassinos, possam ficar separados, possam cumprir penas fixas e maiores", disse Serra em Pirassununga, cidade de 70 mil habitantes a 200 km de São Paulo onde fez campanha.Segundo o candidato, o isolamento dos menores mais perigosos seria realizado em celas das próprias Febens, e caberia à Justiça e ao Legislativo analisar a progressão das penas. "Com esta proposta, aquele Champinha não sairia", exemplificou Serra, que considerou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) "um bom estatuto, mas que precisa ser atualizado".O candidato passou por em contratempo durante a entrevista: um grupo de estudantes da USP, campus de Pirassununga, acompanhou toda a visita de Serra usando narizes de palhaço. Os manifestantes, que mostravam um cartaz onde pregavam o voto nulo e cobrava verbas para a educação, entraram em conflito com a comitiva do candidato.O presidente estadual do PSDB, Sidney Beraldo, que acompanhou a comitiva, lamentou o episódio. "Foi um absurdo. Respeitamos qualquer tipo de manifestação, e essa era uma manifestação legítima", reconheceu. "Foi um equívoco, orientamos todos (da comitiva) a não cair nas provocações, e isso não vai mais se repetir", prometeu.Cidades vizinhasSerra ainda fez campanha em Leme e Araras, cidades próximas a Pirassununga. Na primeira, disse que os integrantes do MST paulista procuram tumultuar ao prometerem acelerar as invasões no Estado para conter o crescimento da cultura da cana.Em Araras, por volta das 17h, concedeu a última entrevista do dia. Prometeu acabar com as celas dentro das delegacias e criar em Araras a Delegacia Participativa, uma parceria entre o Estado, município, o empresariado e a população local. O candidato não detalhou o projeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.