Serra e Aécio divergem sobre reforma política

Um dia depois de ter discursado como líder da oposição no Congresso, o senador Aécio Neves (MG) divergiu da proposta do ex-governador José Serra (SP) de que o PSDB deve se concentrar em apenas um ponto da reforma político: o voto distrital puro para as eleições de 2012. Aécio está confiante em que o partido tem condições de fechar um consenso em torno de mais pontos da reforma, como a adoção do voto distrital misto e o fim das coligações proporcionais.

Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2011 | 00h00

"Vamos eleger três ou quatro temas que podem unir o partido na reforma política. Passaremos a defender como bandeiras do PSDB", propôs Aécio, durante seminário do partido sobre reforma política. Serra não ouviu as sugestões: foi embora do encontro antes da fala do mineiro.

Durante o seminário, Serra defendeu uma grande campanha para a aprovação no Congresso do voto distrital puro para as eleições de 2012. De autoria do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), o projeto prevê a instituição do voto distrital para os vereadores já nas eleições do ano que vem para as cidades com mais de 200 mil eleitores. "Podemos fazer uma campanha, uma cartilha para reforçar o projeto", disse Serra.

"Não vejo divergências entre Serra e Aécio; ambos defendem o voto distrital misto", amenizou o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.