Serra e Dilma reforçam ofensiva em programas populares de rádio e TV

Dois meses antes de formalizar as candidaturas nas convenções partidárias, os pré-candidatos à Presidência José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) lançaram-se em uma agenda de viagens e entrevistas digna de quem está em plena campanha. Programas de TV populares e rádios regionais são os meios preferidos para atingir o eleitorado.

Vera Rosa, Adriana Carranca, Clarissa Oliveira e Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

Empenhada em vestir o figurino da simpatia desde que deixou o governo, Dilma fará incursões pela televisão nos próximos dias. Na agenda da petista constam entrevistas ao Programa do Ratinho, no SBT, e ao Brasil Urgente, comandado por José Luiz Datena, na Rede Bandeirantes.

O PT está acertando com Datena uma superprodução, na qual Dilma deve entrar em um helicóptero para sobrevoar São Paulo, a maior cidade do País, justamente onde seu desempenho ainda está aquém das expectativas, segundo as pesquisas.

Foi no programa de Datena que Serra - então governador de São Paulo e hoje pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto - admitiu pela primeira vez sua entrada no páreo para concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Serra percorre, desde segunda-feira, um circuito de emissoras de rádio, a começar pela Jovem Pan e Bandnews, em São Paulo. Na terça, falou à Rádio Sociedade, em Salvador, e à Rádio Jornal, do Recife. Ontem, deu entrevistas às rádios Arapuã e Paraíba Sat, ambas em João Pessoa, e participou do programa Debate com Paulo Lopes, na paulista Capital AM. À noite, deu mais uma entrevista, à Rádio Metrópole, de Salvador.

"Esse modelo vai se repetir bastante durante a campanha", admite o deputado Jutahy Magalhães (PSDB-BA), um dos articuladores da campanha no Nordeste. Como governador, o tucano já vinha investindo no público de baixa renda, participando dos programas de auditório mais populares da TV brasileira, entre os quais os das apresentadoras Hebe Camargo e Luciana Gimenez, além do principal concorrente de Datena, Ratinho.

Dilma também tem dado entrevistas às rádios locais por onde passa. Neste mês, falou à Itatiaia, de Belo Horizonte, e à Verdes Mares, de Fortaleza, além da Jovem Pan e da Capital, em São Paulo.

Legislação. A estratégia de buscar exposição em programas de rádio e televisão foi a maneira encontrada pelo comando da campanha petista para contornar as restrições impostas pela lei eleitoral. A avaliação do time petista é de que, diante do impedimento de pedir votos abertamente nas ruas antes do início de julho, quando a campanha começa de forma oficial, as entrevistas são a maneira mais eficiente de expor a ex-ministra da Casa Civil a uma fatia mais ampla do eleitorado.

O comando da campanha do PT avalia que a participação de Dilma em programas populares na TV - como os de Ratinho e Datena - e também em emissoras de rádio é "essencial" para a candidata estabelecer uma "comunicação direta" com o eleitor. Sob o argumento de que jornais editam as declarações de Dilma e muitas vezes "distorcem" suas palavras, a preferência dos petistas é por entrevistas ao vivo.

Desconhecimento. Além de reconhecer que Dilma está em forte desvantagem em relação a Serra quando o assunto é o conhecimento dos eleitores, como demonstram os resultados das pesquisas eleitorais, petistas admitem que Serra acertou ao admitir pela primeira vez os planos de se candidatar em entrevista a Datena, no mês passado. Dilma, por sua vez, adotou progressivamente o discurso de candidata, até formalizar sua intenção de concorrer no Congresso Nacional do PT, no fim de fevereiro.

A data da participação da petista no programa de Datena ainda não está marcada. A negociação da pré-candidata está mais avançada com o Programa do Ratinho. Ela concederia ontem, no fim da tarde, uma entrevista ao vivo. Acabou pedindo o adiamento para o dia 29, às 18 horas, alegando problemas de agenda.

Ontem em São Paulo, Dilma jantou na casa da apresentadora Ana Maria Braga, que comanda o Mais Você, um programa matinal de variedades da TV Globo.

Segundo a equipe da apresentadora, o objetivo era apenas organizar um "jantar entre amigas, sem qualquer conotação política". As duas se aproximaram na época em que Dilma, então ministra da Casa Civil, foi diagnosticada com um câncer no sistema linfático. Ana Maria Braga também lutou contra a doença em 2001.

Em rede nacional

José Serra

Depois de lançar sua candidatura, informalmente, no programa Brasil Urgente, o tucano concedeu entrevista a seis rádios. Na segunda-feira, em São Paulo, foi entrevistado pela Jovem Pan e Bandnews. Anteontem, deu entrevistas às rádios Sociedade, em Salvador, e Jornal, em Recife. Ontem, às rádios Arapuã e Paraíba Sat, em João Pessoa

2

Dilma Rousseff

Na semana passada, a petista deu entrevista às rádios Jovem Pan, de São Paulo, no dia 5; Itatiaia, de Belo Horizonte, no dia 7, e Capital (SP), no dia 9. Anteontem, falou à Rádio Verdes Mares, de Fortaleza. Ontem, jantou com a apresentadora Ana Maria Braga, da Rede Globo. No dia 29, ela deve participar do Programa do Ratinho, do SBT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.