Serra faz corpo a corpo com eleitores em AL

Ao lado do governador, tucano passeia em shopping, abraça crianças e faz promessas para o Estado, mas evita falar de temas polêmicos

Ricardo Rodrigues, MACEIÓ, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

O pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, realizou atividade típica de campanha ontem em Maceió, ao lado do governador Teotônio Vilela Filho. Depois de visitar as instalações da nova fábrica da Coca-Cola, na capital alagoana, Serra fez corpo-a-corpo com os alagoanos, em visita ao Shopping Pátio Maceió.

O tucano cumprimentou eleitores, abraçou crianças, tirou fotos com jovens e distribuiu muitos apertos de mão. Mas evitou falar de tema polêmicos como o avanço dos conflitos agrários no governo Lula e o crescimento da rival Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas.

Serra disse que estava contente com a receptividade em Alagoas e prometeu ajudar o Estado ainda mais caso seja eleito presidente da República. "Não posso deixar de reconhecer que houve avanços no governo do presidente Lula, mas é preciso avançar ainda mais nas políticas sociais", afirmou.

O tucano também reconheceu que, apesar das divergências partidárias, o Estado de São Paulo nunca foi discriminado pelo governo federal. "Fui governador de oposição e nem por isso recebi tratamento discriminativo do governo Lula", afirmou Serra. Disse ainda que para as obras do Rodoanel, que custaram cerca de R$ 5 bilhões, o governo federal entrou com 24% dos recursos. "Apesar de a obra ter sido feita praticamente com recursos próprios do Estado, eu fiz questão de reconhecer a ajuda que o governo federal nós deu para construir o Rodoanel."

Almoço. O pré-candidato visitou ainda o Shopping Maceió, que fica na parte baixa da cidade. Ele aproveitou a passagem pela praça de alimentação e almoçou ao lado de Vilela, no restaurante Caboclo Faminto.

Recarga. Serra encerrou sua visita a Alagoas com uma caminhada pelo calçadão do comércio de Maceió. Ao vê-lo entrar no local em companhia do governador alagoano, o locutor de uma loja decidiu anunciá-los.

Ao citar o nome de Vilela e de Serra, os clientes que estavam por perto, aplaudiram. Empolgado com os aplausos, Serra pediu o microfone do locutor emprestado e cumprimentou o público. Depois de dar um boa tarde a todos, disse que não estava em campanha. "Nós não estamos em campanha, só em junho. Eu vim aqui para recarregar energia", afirmou o pré-candidato tucano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.